Enquanto juntamos retalhinhos...ouvimos doces melodias...

terça-feira, 30 de setembro de 2014

Fundamental é mesmo o amor, é impossível ser feliz sozinho.

(João Gilberto)
Sorria para a vida que ela te devolverá mil sol-risos. Faça do seu coração um abrigo onde só o que reluz pode entrar. Abrace a cada dia um novo horizonte de si mesmo, esse é o segredo do constante despertar. Siga seus maiores sonhos e confie que tudo pode se realizar se você com toda força acreditar. Super bom dia!!!

 Meire Oliveira

segunda-feira, 29 de setembro de 2014

"Coitado do Amor,é sempre acusado de provocar dor,quando deveria ser reverenciado simplesmente por ter acontecido em nossa vida,mesmo que sua passagem tenha sido breve.E se não foi,se permaneceu em nossa vida,aí é o luxo supremo.Qualquer Amor merece nossa total indulgência,porque quem costuma estragar tudo,caríssimos,não é ele,somo nós."

(Martha Medeiros)

"Heróis nem sempre são os que vencem. Algumas vezes, são os que perdem. Mas eles continuam lutando, continuam voltando. Não desistem. É isso que faz deles heróis." [Cassandra Clare in Cidade do fogo celestial] 




Ótima semana para todos!

domingo, 28 de setembro de 2014

"O amor é a coisa neste mundo pela qual vale a pena arriscar tudo. O propósito da vida é crescer com sabedoria e seguir as verdades do seu coração. Se você fizer isso será feliz, mas se perder tempo devido as suas escolhas, ou a falta delas, será infeliz." [Colleen Houck in O Destino do Tigre]

"Tristeza prepara para alegria. Ela violentamente varre tudo fora de casa, para que a nova alegria pode encontrar espaço para entrar. Isso abala as folhas amarelas do ramo de seu coração, para que as folhas frescas, verdes podem crescer em seu lugar. Ele está baixando as raízes podres, para que novas raízes escondidas abaixo tenham espaço para crescer. Qualquer tristeza de seu coração irá embora, coisas muito melhores tomarão seu lugar... "

(Rumi)

sábado, 27 de setembro de 2014

"Vem de longe, vem no escuro, brota que nem mato que dispensa cuidado e cresce com a mais remota chuva. Vem de dentro e fundo e com urgência. Amor vem de amor. Que não cabe, mas assim mesmo a gente guarda. A gente empurra, dobra, faz força, deixa amassado num canto, no peito, no escuro, dentro, ou larga pegando sereno. Amor vem de amor. Vem do pedaço mais feio, do mais sem palavra, do triste, vem de mãos estendidas. É tecido desfeito pelo tempo, amarelecido pelo tempo, pelo cheiro da gaveta fechada, pelo riscado do sol na madeira. Amor vem de amor. Vem de coisa que arrebata, vira chão, terra, cisco, resto, rastro, coisa para sempre varrida. É delicadeza viva forte violenta. Que faz doer, partir, deixar caído. Amor vem de amor. E dói bonito! Cheio de sabor."

[Guimarães Rosa]
"Feliz por nada, nada mesmo? Talvez passe pela total despreocupação com essa busca. Essa tal de felicidade inferniza. “Faça isso, faça aquilo”. A troco? Quem garante que todos chegam lá pelo mesmo caminho?Particularmente, gosto de quem tem compromisso com a alegria, que procura relativizar as chatices diárias e se concentrar no que importa pra valer, e assim alivia o seu cotidiano e não atormenta o dos outros. Mas não estando alegre, é possível ser feliz também. Não estando “realizado”, também. Estando triste, felicíssimo igual. Porque felicidade é calma. Consciência. É ter talento para aturar o inevitável, é tirar algum proveito do imprevisto, é ficar debochadamente assombrado consigo próprio: como é que eu me meti nessa, como é que foi acontecer comigo? Pois é, são os efeitos colaterais de se estar vivo. Benditos os que conseguem se deixar em paz. Os que não se cobram por não terem cumprido suas resoluções, que não se culpam por terem falhado, não se torturam por terem sido contraditórios, não se punem por não terem sido perfeitos. Apenas fazem o melhor que podem. Se é para ser mestre em alguma coisa, então que sejamos mestres em nos libertar da patrulha do pensamento. De querer se adequar à sociedade e ao mesmo tempo ser livre. Adequação e liberdade simultaneamente? É uma senhora ambição. Demanda a energia de uma usina. Para que se consumir tanto? A vida não é um questionário de Proust. Você não precisa ter que responder ao mundo quais são suas qualidades, sua cor preferida, seu prato favorito, que bicho seria. Que mania de se autoconhecer. Chega de se autoconhecer. Você é o que é, um imperfeito bem-intencionado e que muda de opinião sem a menor culpa. Ser feliz por nada talvez seja isso."
(Martha Medeiros )

sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Há que decidir se as vossas raízes se tornaram tão entrelaçadas a ponto de ser inconcebível que alguma vez pudessem estar separadas. Porque é isso que o amor é. Amor não é ficar sem respiração, não é excitação, não é a promulgação de promessas de paixão eterna. Isso é apenas o “estar apaixonado” com que qualquer um de nós se pode iludir.
O amor propriamente dito é o que sobra quando o estar apaixonado se extinguiu, e isso é tanto uma arte como um acidente feliz. Tínhamos raízes que cresciam em direção uma à outra nas profundezas da terra… e quando todas as belas flores finalmente caíram dos nossos ramos para o chão, percebemos que éramos apenas uma árvore, ao invés de duas.

[St. Augustine - Capitão Corelli]
"Eu quero que você tenha as quatro coisas mais importantes do mundo:
Tempo,Amor,Liberdade e uma Saúde inabalável!"
  E o meu conceito de Saúde vai muito além do corpo meramente físico. Não basta ter um corpo em forma, com tudo funcionando bem. Não basta ter o cérebro e os rins, o coração e as glândulas, as artérias e os músculos, o pulmão e o fígado — todos os órgãos, enfim — funcionando bem. É preciso também ter um crescimento emocional, intelectual e, principalmente, espiritual. Aliás, para mim, a Vida de um corpo (qualquer corpo) consiste na presença gloriosa do Espírito. Sem este, aquela se vai. Alias, talvez seja Ele que seja Ela...

Mas às vezes me perguntam por que eu defendo como indispensável o crescimento intelectual — além do emocional e do espiritual. Minha resposta: porque a burrice também é uma doença. Tão imperdoável quanto a ira, a gula, o ódio, a inveja, o apego e a maldade. As igrejas costumam chamar essas coisas todas de "pecados", mas para mim são apenas doenças. Curáveis... Plenamente curáveis. Basta que o doente cresça um pouco. Emocionalmente, intelectualmente e espiritualmente. Fácil? Não muito. Mas não impossível.


(Edson Marques)

quinta-feira, 25 de setembro de 2014

"O amor verdadeiro é mágico, e não apenas uma magia qualquer, e sim a magia mais poderosa de todas." [Once Upon a Time - 1ª temporada]

A semente germinada fora do tempo
N ascida quando a terra aflora,
D a mãe a última semente,
R epresentante da Alegria,traz
E strelas na cabeça e um jardim no coração,
A ndrea,Andrea!!!!

(Al Ribeiro)
22.09.2014 -07:00PM
PRIMAVERA

É tempo de vestir-se de esperança
Pintar jardins com as cores da aquarela
Perfumar-se com óleo de alegria
E sorrir com simplicidade de criança

É tempo de esvaziar- se de mágoas
Deixar o coração levinho
E de novo deixar-se encantar 
Pelo canto dos passarinhos

É tempo de deixar-se renascer
Permitir-se florescer...
E deixar a primavera acontecer
Dentro do coração.

Arnalda Rabelo


Enfim...hoje eu não acordei...primaverei...afinal hoje é meu aniversário!


quarta-feira, 24 de setembro de 2014



"Tu és em mim profunda primavera: 
volto a saber em ti como germino. "

Pablo Neruda
Devias estar aqui rente aos meus lábios
para dividir contigo esta amargura
dos meus dias partidos um a um

- Eu vi a terra limpa no teu rosto,
Só no teu rosto e nunca em mais nenhum 


Eugénio de Andrade
"Rasga o silêncio dentro de mim,
 um vento outonal agita minhas folhagens,
 embora seja Setembro,Primavera Celestial.
 Rasga o silêncio no meu momento,
 como se um aviso fosse,um sentir,
 que é chegada a hora,
 já é tempo,meu tempo de florir."

 (Al Ribeiro)
 22.04.2014 12:00am
Bem vinda Primavera!!!

É tempo de ver os sonhos inflamarem
e acordar a doce magia dos olhos
e então, ver flores no sol,
no mar, no luar ...

Arnalda Rabelo

terça-feira, 23 de setembro de 2014

A mão dela cabia dentro da mão dele, como uma concha dentro de outra.

(Pedro Paixão)
"Somos um,
sem sermos um.
Esquivamos-nos do nosso pretérito imperfeito,
improvisamos nosso presente,
como bailarinos saltamos para um futuro,
sem sabermos qual o próximo contexto."

(Al Ribeiro)

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Queria ficar toda a noite contigo para te contar a minha vida inteira.

(Pedro Paixão)
"Quero todos os dias,me embriagar com o doce néctar da Vida."

(Al Ribeiro)

Uma linda semana para todos!

domingo, 21 de setembro de 2014

Já reparaste no tempo que uma árvore leva a crescer? É um tempo muito lento, vagaroso. O nosso amor devia ser da mesma maneira.», disse ela, aproximado o seu corpo do dele. Ele manteve-se calado enquanto a imagem da árvore lhe trazia, por contraste, a ideia da fragilidade de tudo, e apertou com mais força a mão dela. Uma nuvem tapou o sol. O jardim parecia vazio e as duas almas juntaram-se numa só.

(Pedro Paixão)
"Tudo tem uma textura única,
 feche os olhos e sinta,
 a melodia dos pássaros,
 o calor do sol,
 a alegria das cores,
 o cheiro de Vida."
 Aprecie!!!!"

(Al Ribeiro) 12.09.2014 08:00am

sábado, 20 de setembro de 2014

Nunca se sabe o que é para sempre, sobretudo
nas coisas do amor. E era uma coisa do amor
isto tudo. São tão estranhas as coisas do amor
que não se compreendem por inteiro.
Tem de se estar sempre a fazer suposições.
Nunca se sabe como e até que ponto e até quando.
(...) Quando se perde tudo pela primeira vez fica-se
com o terror de perder todas as vezes.
(...)
O primeiro amor dá cabo de nós.
E o último é sempre o primeiro.

( Pedro Paixão)



"Permanecemos humanos enquanto existe em nós 
a esperança da beleza e da alegria. 
Morta a possibilidade de sentir alegria ou gozar a beleza, 
o corpo se transforma numa casca de cigarra vazia."

Rubem Alves

sexta-feira, 19 de setembro de 2014

Olha para mim, amor, olha para mim;
Meus olhos andam doidos por te olhar!
Cega-me com o brilho de teus olhos
Que cega ando eu há muito por te amar.
Florbela Espanca
"Sabiá de setembro tem orvalho na voz.
De manhã ele recita o sol."

* Manoel de Barros *

Agora mesmo enquanto eu escrevo,canta majestosamente o sabiá.

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Amor um mal, que mata e não se vê;
Que dias há que na alma me tem posto
Um não sei quê, que nasce não sei onde,
Vem não sei como, e dói não sei porquê.
Luís de Camões
A maior riqueza do homem é a sua incompletude.
Nesse ponto sou abastado.

Palavras que me aceitam como sou - eu não 
aceito.
Não aguento ser apenas um sujeito que abre
portas, que puxa válvulas, que olha o relógio, que
compra pão às 6 horas da tarde, que vai lá fora,
que aponta lápis, que vê a uva etc etc.
Perdoai.
Mas eu preciso ser Outros.

Eu penso renovar o homem usando borboletas.

Manoel de Barros

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Falávamos como 

se nos conhecêssemos há anos. 

Há vidas quem sabe.

- Caio Fernando de Abreu
''Eu te desejo:
- Amor, pois sem ele não somos nada.
- Saúde, pois precisamos dela para levantar a cada dia.
- Fé, já que não podemos perder a capacidade de acreditar. 
- Bom humor, para encarar o que vier pela frente.
Com essas quatro coisas a vida fica mais bonita e mais leve. Pode acreditar.''

Clarissa Corrêa

E flores..te desejo muitas flores!

terça-feira, 16 de setembro de 2014

Talvez …

O tempo que perdemos, por estarmos tão longe, se resgate …
Talvez, o brilho das estrelas te ilumine o caminho até mim, e que eu possa estar no postigo da lua à tua espera
Talvez o calor do sol me aqueça o regaço, para não morrer de frio enquanto tu não chegas e me dês aquele abraço
Talvez no crepúsculo de cada dia, as cores inebriantes do céu, escrevam o teu nome, e desta vez espera que eu chegue, para escrever, o meu ao lado do teu
Talvez as cores do arco-íris, me levem ao colo até ti, e encham a minha alma, que agora está tão negra, e a pincelem com a pitoresca tinta
Talvez voltes quando o verão chegue, acarinhada que foste no bailado da primavera
Talvez não me deixes no inverno, pois o teu doce outono será por mim aquecido
Talvez as ondas do mar, em dia de nortada, me levem a ti, logo pela madrugada
Talvez num ato senil, o meu grito se faça ouvir, depois de tantos anos a falar sozinho e finalmente me possas sentir.
Talvez o perfume das mil rosas plantadas no meu jardim, perfumem enfim os nossos lençóis, quando te deitares junto a mim
Talvez um dia leias a minha alma, ao abrires o baú, das tantas cartas que sozinho escrevi, em intermináveis noites calmas
Talvez um dia te inebries, com o sabor doce alcoolizado, deste amor, que durante tanto tempo, andou embriagado
Talvez, um dia percebas que sempre estive ao teu lado, na espera de te ter, e tu nesse mesmo instante não me queiras mais perder
Talvez amanhã, não seja tarde, porque o ontem já passou e hoje a esperança mantem-se em te amar
Talvez, assim desta forma, a minha vida possa continuar com a certeza, que o talvez se perdeu no tempo …
Naquele tempo em que talvez, também tu andaste perdida


(Emília Mendonça)
“Beleza não é ter um cabelo longo, pernas finas, pele bronzeada e dentes perfeitos. Acredite em mim. Beleza é o rosto de quem chorava e agora sorri. Beleza, é a cicatriz no seu joelho que você tem desde aquela vez que você caiu quando era criança, beleza é quando o amor não te deixa dormir de noite, beleza é a expressão no seu rosto quando o despertador toca de manhã. É a maquiagem borrada quando você toma banho, é a gargalhada de quando você conta uma piada e só você entende. Beleza é encontrar o seu olhar e ficar sem rumo, beleza é o seu olhar quando eu olho para ele, é quando você chora por suas paranoias, são as linhas de expressão marcadas pelo tempo. Beleza é o que a gente sente por dentro e que também reflete por fora. Beleza são as marcas que a vida nos deixa, todos os chutes e caricias que as memórias nos dão. Beleza, é se deixar viver.”

Emma Watson

segunda-feira, 15 de setembro de 2014

Amor por Ti...

"Jardineiro...

Brotou uma nova flor em meu jardim.
É uma flor bonita,multicolorida.
Não seca,não morre.
No meu coração é uma flor rara.
Acho que nem você ,conhecedor de muitas as flores,dessa você jamais viu.
Não é como as roseiras,carregadas de rosas,não.O pé só deu uma única flor,que desabrocha várias vezes ao dia,basta eu lembrar do seu amor.
E o perfume?
Horas cheira saudade,horas cheira paixão,horas perfuma decepção,mas é sempre notas de emoção.
Há momentos que cai pétala à pétala,e eu penso,agora se foi de mim.
Mas depois,ela torna a florescer,num desabrochar sem fim.

Jardineiro,brotou uma nova flor no meu coração,e como já existe o Amor Perfeito,chamei-a de Amor Por Ti."


(Al Ribeiro)13.09.2014  08:00am

E até que se toquem os sinos novamente,anunciando o término desta Primavera,nos amaremos infinitamente eu e o jardineiro do meu coração.....(Al Ribeiro)
         

"Muitas vezes a gente não entende por qual motivo determinada coisa acontece. Nos sentimos perseguidos, infelizes, azarados ou frágeis. Mas tudo, tudo mesmo, tem uma explicação. Pode ser que hoje nossos olhos não enxerguem, mas mais pra frente tudo fica nítido. É só esperar e acreditar que tudo se desenrola e fica bem."

Clarissa Corrêa

domingo, 14 de setembro de 2014

Amor é o que fica depois das dúvidas. Amor é o que fica depois do orgulho. Amor é o que fica depois dos gritos. Amor é o que fica depois da raiva. Amor é o que fica depois dos erros. Amor é o que fica depois da cobrança. Amor é o que fica depois do cansaço. Amor é o que fica depois de ir embora. Se o amor ficou depois de tudo, não finja que ele é nada.”

Fabrício Carpinejar
"Passa nuvem,passa céu,passa o tempo,
tudo passa...só o que permanece é minha vontade de amanhã ver tudo isso de novo."
(Al Ribeiro)

Foto by Andrea Ribeiro

sábado, 13 de setembro de 2014

"Quando te vi amei-te já muito antes
Tornei a achar-te quando te encontrei.
Nasci pra ti antes de haver o mundo."

(Fernando Pessoa)
Abençoados e necessários silêncios de mim, que disciplinam e ensinam-me a desentalar amarguras, desaprender as tristezas, rejeitar dependências e conjugar o amor. 

Ita Portugal

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Vieste como um barco carregado de vento, abrindo 
feridas de espuma pelas ondas. Chegaste tão depressa 
que nem pude aguardar-te ou prevenir-me; e só ficaste 
o tempo de iludires a arquitetura fria do lugar estaleiro

onde hoje me sentei a perguntar como foi que partiste, 
se partiste, 
que dentro de mim se acanham as certezas e 
tu vais sempre ardendo, embora como um lume 
de cera, lento e brando, que já não derrama calor. 

Tenho os olhos azuis de tanto os ter lançado ao mar 
o dia inteiro, como os pescadores fazem com as redes; 
e não existe no mundo cegueira pior do que a minha: 
o fio do horizonte começou ainda agora a oscilar, 
exausto de me ver entre as mulheres que se passeiam 
no cais como se transportassem no corpo o vaivém 
dos barcos. Dizem-me os seus passos 

que vale a pena esperar, porque as ondas acabam 
sempre por quebrar-se junto das margens. Mas eu sei 
que o meu mar está cercado de litorais, que é tarde 
para quase tudo. Por isso, vou para casa 

e aguardo os sonhos, pontuais como a noite. 

Maria do Rosário Pedreira, in 'O Canto do Vento nos Ciprestes'
Sêneca dizia que a vida não é curta: nós é que a tornamos...

Porque quase sempre a desperdiçamos com ninharias, afazeres inúteis, objetivos rasteiros, coisas supérfluas. Se você aproveitasse para si mesmo o tempo que perde no trânsito, no trabalho alienado, na falsa educação dos filhos, nas reprimendas aos escravos, nas conversas hipócritas, na fila do banco, no ônibus, no metrô, no avião; se você aproveitasse o tempo que perde vendo tv, ou em papos furados ao telefone, ou nas agendas ridículas, nas festas de aniversário, nas reuniões absurdas, nos salamaleques, nos sermões, nas orações, nas noites de autógrafo, na Internet;

Se você não precisasse gastar esse tempo enorme tentando corrigir as barbaridades que comete contra si mesmo; se você não precisasse ficar se explicando a toda hora para o patrão, para a patroa, para os pais, para os filhos, para os namorados, para os irmãos, para os amigos;

Se você não gastasse essas eternidades tentando encontrar uma saída nesse beco escuro em que se meteu por burrice; se você fosse simplesmente um pouquinho mais esperto, um pouquinho mais inteligente (e livre!), a vida NÃO seria tão curta.

Aliás, a vida seria uma verdadeira e duradoura delícia:

Noventa e cinco anos de prazer absoluto bastariam..


(Edson Marques).

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Há uma certa saudade 

que só tem remédio 

quando a terra é lavrada de novo, 

num ciclo em que ao arado

manobrado por mão firme

se segue o plantio no rasgão,

fundo,

ainda em estretores

do embate das lâminas,

ávido de semente.

Um sol que tem o brilho mais guardado. Um céu que teima um azul desesperado de ser. A flor que pari sorrisos ao tempo. A terra com cheiro de uma vida insólita. Os pássaros de asas novas. Eu me tenho emoção. Setembro quis chegar. 

Dan Cezar

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

Morreste-me. 

Mas a memória guarda-me o teu cheiro, 

as tuas mãos e o teu sorriso. 

Estás em nós e eu estou em ti.

Eu jamais seria eu sem a tua presença

constante na minha vida.

Comparência que eu gostaria de poder prolongar.

Mantenho a memória acesa com

pedaços de imagens que me fazem sorrir.

Deixaste-te ficar em tudo

os teus movimentos,

o eclipse dos teus gestos.

E tudo isto é agora pouco para te conter.

Agora, és o rio e as margens e a nascente

és o dia, e a tarde dentro do dia,

e o sol dentro da tarde

és o mundo todo por seres a sua pele.

(José Luís Peixoto)

Eu tenho que o destino vem de uma comunhão. De uma manhã de surpresas e um beijo, por exemplo. De um olhar esparramado de querer e um sol fazendo cócegas no tempo. Ou de um azul lindo e um verbo. De um arrepio e uma poesia. De uma vontade e uma oração. De uma verdade e uma emoção. Até mesmo de um chocolate e um descompromisso. De uma fé íntima e um sentido. Do amor e de um amor. De uma flor e uma esperança. De uma cor e muita, muita dança. De um sorriso e de você. De um agradecimento e um chão. De um arrependimento e uma lição. De uma certeza e Deus. Minha comunhão dá adeus ao que não aproxima. É um sinal lá de cima. Um destino meu. E muito bem aceito.

Dan Cezar

terça-feira, 9 de setembro de 2014

E tu, 

porque não vens ter comigo, 

mesmo que seja em sonho, 

agora que as buganvílias

começam a acordar

em banho de roxo e ouro pálido

e do céu baixo se solta um vento quase caricioso,

que vai deixando dedadas mornas por aqui.

Esta sede de ti que não se extingue!

Sinto as pequenas vagas a esfrangalharem-se nos recifes,

a marulharem ao longe.

A pele escalavrada da memória dissolve-se nesta exaltação.

Sorris-me.

O teu torso desnudo no fundo azul da tarde mais azul .

Parece que alguém lavra um campo,

imagino os braços fumegantes da terra a abrirem-se de espanto,

tal como em espanto e amor se abre outra vez o teu corpo.


( Urbano Tavares Rodrigues, in Margem da Ausência)
Fiz modo corrente de sorrir. Brinquei de apalpar os ponteiros de marcar vida. Uma querida e grata surpresa pra se descobrir milagres. Pra enxergar o tempo. Como guardar a voz de uma palavra. Ou de saber que o horizonte é linha que separa o sonho do céu. Ou entoar Pachelbel e sua Canon in D Major e arrepiar de lágrima. Ou dar um mergulho no chão de existência e saber um caminho. Melhor, alojar uma oração na pálpebra e sabê-la ali, sempre. Então cortar uma dúvida ao meio com amor. Nesse hiato, uma parada de ponteiros. Eu brinco da criança de mim pra aprender os sentidos.


(Dan Cezar)